Mês: julho 2014

Passe livre estudantil: da bilhetagem eletrônica à de papel

Impressão de passagens foi o jeito encontrado pela Metroplan para garantir a gratuidade em coletivos aos estudantes
por Micheli Aguiar
Atualizada em 31/07/2014 | 09h3230/07/2014 | 15h31
Passe livre estudantil: da bilhetagem eletrônica à de papel Alina Souza/Palácio Piratini/ Divulgação
Para ter acesso ao passe livre, os estudantes precisam apresentar a Carteira de Identificação Estudantil, expedida pela Uges e pela UEE-RS Foto: Alina Souza / Palácio Piratini/ Divulgação

Depois de enfrentar problemas no início do ano para ter acesso à gratuidade nos coletivos, estudantes da Região Metropolitana estão com o benefício em dia para a volta às aulas na próxima segunda-feira, dia 4. É o que garante a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), que encontrou na impressão das passagens o jeito de garantir o passe livre estudantil a mais de 1,5 mil alunos que não têm acesso à bilhetagem eletrônica.

O método antiquado, mas eficiente, é usado em coletivos de 53 cidades da grande Porto Alegre e dos Aglomerados Sul, Nordeste e Litoral Norte. Nos nove municípios em que o transporte coletivo conta com a tecnologia do cartão TEU, o passe livre é concedido a mais de 4,1 mil estudantes.

No interior do Estado, onde os estudantes têm acesso ao subsídio – o percentual de desconto varia conforme as leis municipais –, a Metroplan afirma que os pagamentos às 382 prefeituras foram regularizados. O repasse aos municípios, que também enfrentou problemas no início do ano, deve totalizar R$ 14 milhões até dezembro. Participam desta modalidade mais de 23 mil estudantes.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

Quanto às solicitações de novos cadastros, a Metroplan afirma que ainda há um pequeno percentual de estudantes que não conseguiram o passe livre – o número, no entanto, não foi informado. Segundo o órgão, os problemas envolvem a documentação dos estudantes e não as passagens em si. Em relação ao subsídio, novos pedidos serão aceitos só em 2015.

– A documentação é simples, mas precisa estar completa. Caso contrário, o estudante não terá acesso ao benefício – salienta o gerente de carteira da União Gaúcha dos Estudantes Secundaristas (Uges), Paulo Machado.

Estudantes do ensino superior precisam fazer recadastramento

Os estudantes universitários precisam fazer o recadastramento para seguir com o benefício no segundo semestre deste ano. A atualização das informações deve ser feita junto à União Estadual de Estudantes (UEE-RS) e o aluno precisa apresentar o atestado de frequência do primeiro semestre, comprovante de matrícula para o segundo semestre de 2014 e o cartão de uso nos coletivos. A liberação dos créditos demora até 15 dias úteis.

– O recadastramento é necessário para que evitemos fraude no pagamento do benefício. Quem não fizer, perde o direito do passe livre – salienta o coordenador do Passe Livre Estudantil da Metroplan, Hélio Sthreinert.

Para evitar fraudes na gratuidade das passagens, a Metroplan pretende implantar o reconhecimento facial. O uso da tecnologia estava previsto para março deste ano. O prazo, entretanto, foi estendido para junho, e agora, a expectativa é que esteja em operação somente no próximo ano.

Updated: 1 de março de 2015 — 17:40
© 2017 UEE-RS - Desenvolvido por Progres Tecnologia. Todos direitos reservados.